Portugal 2020

Subscreva feed Portugal 2020
Actualizado: há 1 hora 13 minutos atrás

Incubadora de Inovação Social já está no terreno

Sex, 20/09/2019 - 00:00

A iniciativa I-Danha – Incubadora de Inovação Social é um projeto que já está em curso no Concelho de Idanha-a-Nova e pretende ser um acelerador e potenciador de consciências sociais e de ideias que nasçam de todos e para todos.
 

O projeto é coordenado pelo Centro Municipal de Cultura e Desenvolvimento de Idanha-a-Nova (CMCD) e tem um financiamento total de 371.494 euros, sendo financiado pela iniciativa Portugal Inovação Social e pelo Programa Operacional Inclusão Social e Emprego, através do FSE - Fundo Social Europeu, em 70 por cento do investimento, tendo como investidor social a Câmara de Idanha-a-Nova nos restantes 30 por cento.
 

A iniciativa i-Danha – Incubadora de Inovação Social, pretende contribuir para o desenvolvimento de um ecossistema de Empreendedorismo e Inovação Social que incentive o surgimento de ideias e projetos de inovação social na região da Beira Baixa, permitindo responder aos desafios decorrentes do despovoamento e desertificação, nomeadamente nas áreas da saúde, ambiente e cultura”.
 

Nesse sentido, já está a ser realizado um trabalho de divulgação, sensibilização e captação de ativadores sociais junto das instituições particulares de solidariedade social (IPSS) do Concelho de Idanha-a-Nova, para a consolidação de uma rede social forte e saudável neste território.
 

 

Fonte: PIS/Gazeta Interior

 

Nova Medida CONVERTE+ já abriu candidaturas

Sex, 20/09/2019 - 00:00

Foi publicada, em Diário da República, a Portaria que cria a nova Medida de Apoio à Conversão de Contratos de Trabalho – CONVERTE+, cujas candidaturas abrem hoje e encerram dia 31 de dezembro.

 

A Portaria n.º 323/2019, publicada ontem, cria e regula a medida CONVERTE+ visando, nomeadamente, prevenir e combater o desemprego, em particular de públicos com maior dificuldade de integração no mercado de trabalho, e promover a melhoria e a qualidade do emprego, incentivando vínculos laborais mais estáveis.

 

Esta medida consiste num apoio transitório à conversão de contratos de trabalho a termo em contratos de trabalho sem termo, através da concessão, à entidade empregadora, de um apoio financeiro correspondente a 4 vezes a remuneração base mensal, com o limite de 7 vezes o valor do Indexante dos Apoios Sociais (IAS), no montante de € 3.050,32 euros, que pode ser majorado.

 

O período de candidatura decorre entre as 9h00 do dia 20 de setembro e as 18h00 do dia 31 de dezembro de 2019, nos termos do Aviso de Abertura, e tem uma dotação orçamental de 30 milhões de euros.

 

A candidatura deve ser efetuada por cada entidade através da sua área pessoal no Portal iefponline, devendo ser efetuado o registo prévio nos casos em que as entidades ainda não estejam registadas.

 

Antes de se candidatar, consulte o Aviso de abertura de candidatura e o Guia de Apoio à apresentação de candidaturas, na página dos Apoios à contratação do website IEFP.

 

Mais informações e esclarecimentos podem ser obtidos através do Centro de Contacto, disponível todos os dias úteis das 8h00 às 20h00, tel: 300 010 001. 

 

 

Fonte: IEFP/República Portuguesa/DR

 

Pinhal Interior de Leiria recebe 17 milhões para revitalização pós incêndios

Sex, 20/09/2019 - 00:00

A iniciativa Portugal Inovação Social aprovou 17 projetos no âmbito do concurso Parcerias para o Impacto, dirigido em exclusivo à região do Pinhal Interior para promover a sua revitalização, na sequência dos incêndios de 2017.

 

Entre os 17 projetos finalistas destacam-se dois que procuram “atenuar a precariedade económica e social do Pinhal Interior diretamente causada pelos incêndios de 2017”.

 

O projeto ‘Elos com Futuro’, da Santa Casa da Misericórdia de Figueiró dos Vinhos, irá implementar uma ação de apoio ao luto envolvendo 417 destinatários dos municípios de Figueiró dos Vinhos, Castanheira de Pera e Pedrogão Grande.

 

Esta iniciativa pretende “apoiar a pessoa em luto não só na perspetiva pessoal como na perspetiva de capacitar mais de 160 pessoas para o apoio ao luto, entre colaboradores das instituições parceiras e pessoas em luto, através de ações específicas”, refere uma nota de imprensa da Portugal Inovação Social.

 

O projeto ‘Abrigo e Horta’, promovido pela Associação Causa - Unidos por uma casa, irá apoiar os agricultores de Arganil, Castanheira de Pera e Oleiros a retomar a sua atividade económica, e principal fonte de subsistência, através da construção de 53 abrigos e hortas.

 

Ambos os projetos estarão vigentes ao longo de três anos.
 

Num total de 1,7 milhões de euros, os projetos aprovados distribuem-se pelas áreas da Educação, Emprego, Inclusão Social, Proteção Social e Saúde.

 

Vão ser implementados nos concelhos de Alvaiázere, Ansião, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos e Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, Arganil, Lousã, Miranda do Corvo, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Penela, Tábua e Vila Nova de Poiares, no distrito de Coimbra, Mação, no distrito de Santarém, e Oleiros, no distrito de Castelo Branco, sendo que 12 municípios co investiram montantes próprios.

De referir que a dotação inicial de 1 milhão de euros do concurso foi ultrapassada, tendo sido destinados a estes projetos 1,7 milhões de euros de financiamento proveniente do FSE - Fundo Social Europeu, a que se somam 700 mil euros de investimento social, mobilizado através das 61 parcerias firmadas totalizando 2,4 milhões de euros de investimento total.

 

 

Fonte: PIS/Jornal Leiria

1ª edição do 'Startup Capital Summit' foi um sucesso em Coimbra

Sex, 20/09/2019 - 00:00

Realizou-se no dia 18 de Setembro, em Coimbra, a primeira edição do Startup Capital Summit, evento organizado pela IFD - Instituição Financeira de Desenvolvimento, com o apoio do FEI - Fundo Europeu de Investimento, através do Programa Portugal Tech, que contou com a presença de mais de 350 participantes.

 

O Startup Capital Summit decorreu durante todo o dia, dividido em cinco painéis e três mesas redondas que exploraram temáticas como Transferência de Tecnologia, Financiamento, Capital de Risco e políticas públicas de Apoio ao Investimento.

 

O Pavilhão Centro de Portugal foi o palco da iniciativa que reuniu mais de 50 especialistas, entre eles investidores, empreendedores e investigadores nacionais que debateram as últimas tendências do ecossistema de capital de risco português.

 

O secretário de Estado de Defesa do Consumidor, João Torres, defendeu que “São empresas como as que já foram apoiadas no âmbito do Portugal Tech que nos fazem crer na dimensão global da economia portuguesa do futuro. Os investidores internacionais acreditam, cada vez mais, no sucesso das ideias de negócio que surgem no nosso País. Cumpre-nos garantir a existência das condições para que possam prosperar”.

 

Para Kreilgaard Kim, Chefe do Escritório de Representação em Lisboa do Grupo BEI, esta ação “é uma oportunidade única para refletir sobre os desafios de financiamento que as startups portuguesas enfrentam. A escassez de capital para apoiar projetos de qualidade nas suas fases iniciais é uma falha de mercado que o grupo BEI, em parceria com a IFD, tem procurado colmatar. O Grupo BEI está absolutamente determinado em continuar a trabalhar com a IFD para impulsionar o desenvolvimento de um mercado de capital de risco mais forte e sustentável. A parceria Portugal Tech é um excelente exemplo dessa frutífera colaboração”.

 

Segundo o presidente executivo da IFD, Henrique Cruz, “o Startup Capital Summit é uma excelente oportunidade para promover os instrumentos financeiros ao dispôr de startups e projetos de empreendedorismo em estágio inicial e demonstrar, ao mesmo tempo, como a IFD importa as boas práticas internacionais na gestão de capital de risco para o ecossistema português”.

 

O evento reuniu diversas entidades parceiras da IFD nos segmentos de capital de risco e business angels, cofinanciados por fundos UE do Portugal 2020 geridos pela IFD.

 

A sessão da tarde foi dedicada ao programa Portugal Tech, uma parceria entre a IFD e o FEI que combina fundos nacionais e da União Europeia para financiar startups, projetos de transferência tecnológica e empresas de base tecnológica.

 

O diretor do Departamento de Programas de Capital de Risco do FEI, Jacques Darcy, destacou que o Portugal Tech mobilizou até ao momento mais de 200 milhões de euros e já ajudou a financiar 15 startups portuguesas.

 

Durante o evento defendeu que “Portugal deve apostar neste tipo de parcerias tão eficazes para atrair não só capital europeu mas também capital privado de investidores que tipicamente não investem em capital de risco.”

 

A cerimónia contou ainda com a participação de Amílcar Falcão, reitor da Universidade de Coimbra, Nuno Gonçalves, vogal do IAPMEI, e Rita Marques, CEO da Portugal Ventures.

 

 

Fonte: IFD/Imobiliário

 

 

PRODERAM 2020 gera investimentos de quatro milhões na Madeira

Sex, 20/09/2019 - 00:00

Cinco jovens contam com uma verba de fundos da União Europeia que oscila entre os 12 e os 35 mil euros, para efetuar o primeiro investimento agrícola, conforme anunciado na cerimónia de entrega das 34 candidaturas aprovadas pelo PRODERAM 2020 - Programa de Desenvolvimento Rural da Região Autónoma da Madeira, para investimentos de média dimensão.
 

Marco Gonçalves, gestor do PRODERAM 2020, destacou o valor global de investimentos, alusivos a estas candidaturas, na ordem dos 3,9 milhões de euros; quanto aos apoios concedidos, acrescentou, rondaram os 2,3 milhões de euros.
 

A sublinhar que estas candidaturas dizem respeito a 29 investimentos em explorações agrícolas, acima dos 10 mil euros, e a outras cinco ajudas ao arranque da atividade para os jovens agricultores (86 mil euros).
 

Presente na ocasião, o secretário regional da Agricultura e das Pescas, Humberto Vasconcelos, informou que os investimentos serão efetuados em concelhos como Câmara de Lobos, Ribeira Brava, Ponta do Sol, Porto Moniz e Calheta, no âmbito de projetos nas áreas da pecuária, novas culturas em estufas, avicultura, modernização de áreas existentes, entre outros, que irão abranger quase todas as culturas regionais.

 
Estes projetos "criam empregos diretos e indiretos cuja contabilização irá depender da evolução dos investimentos", referiu o secretário, assegurando que na área da agricultura serão criados diversos postos de trabalho.

À margem da cerimónia, Humberto Vasconcelos enfatizou os cinco jovens que através dos fundos da UE têm acesso, a fundo perdido, a uma verba que oscila entre os 12 e os 35 mil euros para que efetuem o primeiro investimento agrícola, em terrenos próprios ou arrendados.

A esse propósito, o secretário declarou constatar um interesse crescente dos jovens pela agricultura com o objetivo de modernizar as áreas de cultura dos pais ou de iniciar os seus próprios projetos.

 

A "melhoria de estufas" foi também destacada como um "trabalho muito positivo" desenvolvido em articulação entre a Secretaria Regional da Agricultura e os técnicos do PRODERAM.
 

 

Fonte: Proderam/JM
 

 

#EUBeachCleanUp organiza número recorde de ações de limpeza de praias

Qui, 19/09/2019 - 00:00

Nas praias da Europa e do mundo, o pessoal da UE está a juntar-se às comunidades locais para recolher lixo marinho, como parte da campanha #EUBeachCleanUp.

 

Lançada a 19 de agosto, a campanha deste ano decorrerá até outubro, culminando no dia 21 de setembro - Dia Internacional para a Limpeza Costeira, com ações realizadas em mais de 80 países, em todos os continentes habitados.

 

Este ano, graças a parcerias inovadoras com as Nações Unidas e os 'Smurfs', a campanha chega a milhares de cidadãos de todas as idades.

 

O êxito da campanha #EUBeachCleanUp depende da sua combinação de ações de sensibilização – com uma forte presença das redes sociais – e do apelo muito concreto à ação: junta-te a nós na tua praia! 

 

Cada um dos muitos eventos #EUBeachCleanUp que ocorrerão nas próximas semanas permitirá recolher toneladas de lixo dos mares e zonas costeiras que terão como destino instalações locais de gestão de resíduos.

 

Os eventos são organizados pelas embaixadas da UE e pelas delegações da ONU em todo o mundo, em parceria com autoridades locais, escolas, ONG e empresas privadas.

 

Através da campanha, a UE e os seus parceiros querem envolver o público e aumentar a sensibilização, especialmente entre as crianças e os jovens.

 

Ao recolher o lixo das praias, as pessoas reconhecerão muitos artigos de utilização única: cotonetes, palhinhas, sacos e talheres de plástico… Participar neste evento pode estimular a mudança de comportamento a longo prazo. 

 

Todos os anos, são despejadas no mar 8 milhões de toneladas de resíduos de plástico e a limpeza das praias não resolverá, por si só, este enorme desafio. A prevenção é fundamental.

 

Foi por este motivo que a UE adotou a comunicação intitulada Uma Estratégia Europeia para os Plásticos na Economia Circular, juntamente com outras medidas legislativas para reduzir a produção e o consumo dos 10 artigos de plástico de utilização única mais frequentemente encontrados como lixo marinho.

 

Veja aqui:

 

| Lista de eventos #EUBeachCleanUp

 

 

Fonte: Rep. CE Portugal

 

 

 

Centro é Região Europeia de Referência para o Envelhecimento Ativo e Saudável

Qui, 19/09/2019 - 00:00

A região Centro de Portugal, representada pelo consórcio Ageing@Coimbra, é uma das 25 Regiões Europeias de Referência para o Envelhecimento Ativo e Saudável, reconhecida pela Comissão Europeia com a classificação máxima (4 estrelas).

 

Estas 25 regiões demonstraram a existência de estratégias abrangentes, através de modelos de inovação que envolvem a academia, empresas, autoridades governamentais e sociedade civil, no desenvolvimento e adoção de práticas inovadoras para um envelhecimento ativo e saudável.

 

Em 2013, a região Centro foi reconhecida pela Comissão Europeia como a primeira Região Europeia de Referência para o Envelhecimento Ativo e Saudável em Portugal, com 2 estrelas. Em 2016, melhorou a classificação para 3 estrelas.

 

Em 2019 obtém a classificação máxima de 4 estrelas, um reconhecimento da contínua qualidade das boas práticas na promoção do envelhecimento ativo e saudável por parte de muitos atores na região e a que o consórcio Ageing@Coimbra procura dar visibilidade, promover o trabalho em rede e a capacitação das instituições envolvidas.

 

O consórcio, que agrega cerca de 80 instituições da região Centro, pretende valorizar o papel do idoso na sociedade e a aplicação de boas práticas em prol do seu bem-estar geral e de um envelhecimento ativo e saudável.

 

O seu principal objetivo é melhorar a vida dos cidadãos idosos na região através de melhores serviços sociais e cuidados de saúde, assim como da criação de novos produtos e serviços inovadores e o desenvolvimento de novos meios de diagnóstico e terapêuticas.

 

Este consórcio tem desenvolvido atividade em rede regional e europeia, sendo nuclear na atração de projetos estratégicos como os projetos H2020 ERA Chair, MIA-Portugal e a comunidade da inovação e conhecimento EIT Health KIC.

 

 

Fonte: CE/CENTRO 2020

CRESC Algarve 2020 atinge 67% de taxa de compromisso em Fundos UE

Qui, 19/09/2019 - 00:00

A Comissão Diretiva do Programa Operacional CRESC Algarve 2020 divulgou a Lista das 886 Operações Aprovadas até 31 de agosto, as quais representam uma taxa de compromisso de 67,37% dos fundos da União Europeia disponíveis para a região.

 

Na mesma data, a taxa global de execução dos fundos da União Europeia no Algarve cifrava-se em 26,35%, em linha com os demais Programas Operacionais Regionais, sendo contabilizados 123,29 milhões de euros (M€) de despesa elegível, aos quais correspondem um total de pagamentos do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) de 66 M€ e do Fundo Social Europeu (FSE) de 19,99 M€.

 

A maioria dos nove eixos do CRESC Algarve 2020 apresenta taxas de compromisso superiores a 60%, destacando-se os eixos 2 (Apoiar a internacionalização, a competitividade empresarial e o empreendedorismo qualificado) e 4 (Reforçar a competitividade do território) que registam valores de 91 e 97%, respetivamente, sendo que o eixo 2 também é o que apresenta melhor taxa de execução com 41,6%.

 

Neste momento, está disponível para consulta pública a listagem dos PROJETOS APROVADOS até 31 de Agosto, no website do CRESC Algarve 2020 em Projetos Aprovados.

 

Fonte: CrescAlgarve2020

Prazo alargado para candidaturas à Formação de Professores no Algarve

Qua, 18/09/2019 - 00:00

O Programa Operacional CRESC Algarve 2020 alargou até 2 de outubro o prazo para apresentação de candidaturas ao concurso ‘Formação de Docentes e outros Agentes de Educação e Formação’.

 

O AVISO n.º 67-2019-10, tem como objetivo apoiar Ações de Formação Contínua de Docentes e tutores da formação em contexto de trabalho, bem como ações de formação de gestores escolares e outros agentes do sistema de Educação e Formação que exercem a sua atividade em escolas.

 

Os beneficiários do CRESC Algarve 2020 deste Aviso são a Direção-Geral de Educação (DGE), o Instituto de Avaliação Educativa, I.P. (IAVE, I.P) e os Centros de Formação de Agrupamentos de Escolas (CFAE) da região do Algarve, nos termos da regulamentação aplicável.

 

Para o efeito, a dotação disponibilizada para estas novas candidaturas de 36 meses ascende a 800.000,00 euros de Fundo Social Europeu (FSE), podendo agora as mesmas ser apresentadas até 2 de outubro de 2019.

 

Consulte este e os outros Avisos que se encontram abertos no âmbito do CRESC Algarve 2020.

 

Fonte: CrescAlgarve2020

Candidaturas abertas aos municípios para redes Wi-Fi gratuitas nos espaços públicos

Qua, 18/09/2019 - 00:00

Amanhã, dia 19 de setembro, às 13h00 CEST (12h00 em Portugal Continental), a Comissão Europeia vai lançar um novo convite à apresentação de candidaturas para vales WiFi4EU destinados à criação de redes Wi-Fi gratuitas em espaços públicos, incluindo câmaras municipais, bibliotecas públicas, museus, parques e praças públicas.

 

O convite está aberto a municípios ou grupos de municípios da União Europeia, até 20 de setembro de 2019, às 17h00 CEST (16h00 em Portugal Continental).

 

Os municípios poderão candidatar-se a 1780 vales de 15 000 euros cada um.

 

Consulte AQUI:

 

WiFi4EU | Free Wi-Fi for Europeans

 

 

Fonte: CE

Parlamento Europeu aprova nomeação de Christine Lagarde para presidente do BCE

Qua, 18/09/2019 - 00:00

O Parlamento Europeu (PE) deu hoje luz verde à nomeação de Christine Lagarde para a presidência do BCE - Banco Central Europeu com 394 votos a favor, 206 contra e 49 abstenções.

 

O plenário seguiu, assim, o parecer da Comissão Parlamentar dos Assuntos Económicos e Monetários, que ouviu a candidata a presidente do BCE no dia 4 de setembro.

 

A votação em plenário, que se realizou por escrutínio secreto, foi precedida de um Debate.

 

O presidente do BCE é nomeado pelo Conselho Europeu (Chefes de Estado e de Governo da UE), deliberando por maioria qualificada, por recomendação do Conselho da UE e após consulta ao Parlamento Europeu e ao Conselho do BCE, de acordo com o artigo 283.º do Tratado sobre o Funcionamento da UE.

 

A duração do respetivo mandato é de oito anos, não renováveis.

 

ETAPAS DA NOMEAÇÃO

 

Em 2 de julho, o Conselho Europeu considerou que Christine Lagarde era a candidata adequada para o cargo de presidente do BCE, no âmbito de um acordo sobre as designações para os mais altos cargos da UE.

 

Em 9 de julho, o Conselho da UE adotou uma Recomendação sobre esta nomeação, formalizando o acordo alcançado pelos líderes europeus. Estes deverão tomar uma decisão formal sobre a nomeação de Lagarde na Cimeira Europeia de 17 e 18 de outubro, depois de terem consultado o Parlamento Europeu (Relatório hoje aprovado em plenário) e o Conselho do BCE.

 

O mandato do atual presidente do BCE, Mario Draghi, termina em 31 de outubro, devendo a nova presidente tomar posse no dia 1 de novembro.

 

Fonte: PE

Apresentado o novo Portal do Financiamento

Qua, 18/09/2019 - 00:00

O IAPMEI apresentou ontem, em Lisboa, o novo Portal do Financiamento, onde as empresas podem encontrar, agregadas num local único, diversas soluções de financiamento com apoio público, direcionado em particular às PME, nas diversas fases da sua atividade e investimento.

 

A informação disponibilizada encontra-se estruturada em função das necessidades das empresas, das suas estratégias de investimento (crescimento, expansão, exportação, capitalização, etc.), da dimensão empresarial ou do setor de atividade.

 

O objetivo é apresentar as soluções, tendo em conta o perfil do investidor e das características do negócio, bem como identificar os agentes responsáveis pela sua operacionalização.

 

O Portal do Financiamento, alojado no site do IAPMEI, disponibiliza informação sobre um variado leque de soluções, como a Garantia Mútua, Seguros de Crédito, Capital de Risco, Business Angels, Fundos de Co-Investimento, Fundos de Investimento Imobiliário, abrangendo ainda os incentivos fiscais ao investimento e a capitalização das empresas.

 

Inserido no Programa Capitalizar, o Portal do Financiamento é uma iniciativa do Ministério da Economia e do IAPMEI em parceria com o Turismo de Portugal, a SPGM, a IFD, a Portugal Ventures, a PME Investimentos e o Turismo Fundos, com apoio do Portugal 2020, ao abrigo do SAMA - Sistema de Apoio à Modernização e Capacitação da Administração Pública.

 

Saiba mais no novo Portal do Financiamento.

 

 

Fonte: IAPMEI/Compete 2020

Candidaturas abertas às Medidas Contrato-Emprego e Contrato-Geração

Qua, 18/09/2019 - 00:00

Estão abertas candidaturas às Medidas Contrato-Emprego e Contrato-Geração até às 18h00 do dia 20 de dezembro de 2019, com uma dotação orçamental de 20 milhões de euros, prevendo-se apoiar cerca de 5.200 desempregados.

 

A medida Contrato-Emprego visa a concessão, à entidade empregadora, de um apoio financeiro à celebração de contrato de trabalho com desempregados inscritos no IEFP.

 

A medida Contrato-Geração traduz-se na cumulação do apoio financeiro previsto no âmbito da medida Contrato-Emprego, com a dispensa parcial ou isenção total do pagamento de contribuições para o regime geral de segurança social, no caso de celebração de, pelo menos, dois contratos de trabalho sem termo, a tempo completo ou parcial.

 

Simultaneamente, com jovem à procura do primeiro emprego e desempregado de longa ou muito longa duração.

  

As candidaturas são efetuadas pela entidade, no Portal iefponline, na sua área de gestão. Caso a entidade ainda não se encontre registada neste portal, deve proceder ao registo prévio.

 

As candidaturas serão sujeitas à aplicação de critérios de análise que constam na matriz definida no regulamento das medidas para efeitos de pontuação mínima a atingir e serão aprovadas até ao limite da dotação orçamental estabelecida.

 

Antes de se candidatar, consulte o REGULAMENTO e verifique as regras de acesso a estas medidas.

 

Fonte: IEFP

Portugal 2020 apoia investimentos na área da Eficiência Energética nas IPSS

Ter, 17/09/2019 - 00:00

Estão abertas as candidaturas para apoiar investimentos na área da Eficiência Energética nas IPSS – Instituições Particulares de Solidariedade Social.

 

A NERSANT - Associação Empresarial da Região de Santarém, vai realizar sessões de esclarecimento de presença gratuita a partir da próxima semana e as inscrições já estão abertas.

 

Se tem uma entidade da economia social, saiba que o Portugal 2020 acaba de abrir Avisos de candidatura para apoiar investimentos na área da Eficiência Energética.

 

O objetivo é a implementação de ações que visem aumentar a eficiência energética e a utilização de energias renováveis para autoconsumo, com vista à redução da fatura energética.

 

Com o objetivo de esclarecer os objetivos dos Avisos, a tipologia das operações, quais os beneficiários, a taxa de incentivo e forma de reembolso ou os prazos de execução para os referidos apoios, a NERSANT vai realizar, a partir da próxima semana, várias sessões de esclarecimento no distrito, com inscrições gratuitas.

 

Todas as sessões de apresentação decorrem da parte da tarde, às 16h00.

 

CALENDÁRIO:  

23 setembro - Santarém

23 setembro - Torres Novas

24 setembro - Ourém

24 setembro - Cartaxo

25 setembro - Abrantes

25 setembro - Benavente

26 setembro - Tomar

 

 

Fonte: Nersant

Dia Europeu das Línguas 2019: Lisboa, 28 de setembro

Seg, 16/09/2019 - 00:00

É já no dia 28 de setembro que vão decorrer as celebrações do Dia Europeu das Línguas, no Jardim do Campo Grande, em Lisboa, das 14h às 19h, com diversas atividades gratuitas organizadas pela EUNIC Portugal e com o apoio da Representação da Comissão Europeia em Portugal.

 

Com um vasto programa cultural, os participantes poderão testar os seus conhecimentos linguísticos, participar em jogos e danças (para adultos e crianças) e assistir a concertos e exposições.

 

Os visitantes mais pequenos podem ainda explorar as línguas europeias através de diversas atividades criativas, desde a narração de histórias a leituras de poesia. E um dos grandes êxitos de edições anteriores, o speak dating, volta a estar presente este ano – uma divertida e lúdica atividade em que os participantes podem aprender as línguas da sua escolha em mini conversas de 5 minutos!

 

As comemorações do Dia Europeu das Línguas são uma oportunidade para conhecer a diversidade linguística representada na EUNIC Portugal, num evento que proporciona aos participantes a possibilidade de contactar com 14 línguas europeias: alemão, checo, croata, espanhol, finlandês, francês, georgiano, grego, italiano, inglês, irlandês, polaco, português e romeno.

 

Com mais de 200 línguas autóctones na Europa e 6000 a 7000 línguas faladas em todo o mundo, o Dia Europeu das Línguas, instituído pelo Conselho da Europa, visa chamar a atenção para os muitos benefícios da aprendizagem de idiomas, sem esquecer o desenvolvimento das competências cognitivas, o derrubar de barreiras culturais e a abertura a novas amizades e oportunidades profissionais.

 

Um evento a não perder e uma oportunidade única para descobrir novas línguas, perspetivas e culturas!

 

Fonte: Rep. da CE em Portugal/MC

Orientações relativas ao Quadro Financeiro Plurianual após 2020

Sex, 13/09/2019 - 00:00

Através da Resolução n.º 183/2019 hoje publicada, a Assembleia da República recomenda ao Governo determinadas orientações relativas ao Quadro Financeiro Plurianual após 2020.

 

A Assembleia da República resolve, nos termos do n.º 5 do artigo 166.º da Constituição, recomendar ao Governo que:

 

  • Reative o compromisso político de articulação e concertação com os países do designado grupo “Amigos da Coesão”, por forma a reforçar a posição negocial e a aprofundar o diálogo com os países que se defrontam com desafios estruturais e de convergência semelhantes aos que se colocam a Portugal.

 

  • Defenda que a inclusão de novos domínios no Quadro Financeiro Plurianual (QFP) não seja feita em prejuízo das verbas da coesão e da Política Agrícola Comum (PAC).

 

  • Defenda, no âmbito do próximo QFP, a manutenção dos envelopes financeiros relativamente à Política de Coesão e à PAC no sentido de não serem inferiores ao orçamento de 2014-2020, assegurando que Portugal não tenha diminuição de verbas nestas áreas.

 

  • Sustente a inclusão do despovoamento do território enquanto critério, nos parâmetros para a definição e afetação dos envelopes nacionais e regionais, criando o estatuto de território de baixa densidade.

 

  • Pugne, no âmbito do próximo QFP, pelo cumprimento, por parte da Comissão Europeia dos objetivos da estratégia definida pela própria Comissão para o desenvolvimento das regiões mais frágeis, denominadas Regiões de Convergências, e para o desenvolvimento das Regiões Ultraperiféricas, no sentido destas continuarem a ser apoiadas pela solidariedade financeira da União com vista à continuação do seu desenvolvimento, tal como consagrado no Tratado.

 

  • Crie uma Comissão externa de desenvolvimento e acompanhamento do próximo quadro comunitário de apoio, da qual devem fazer parte os representantes dos governos regionais, dos municípios e freguesias, das comissões coordenadoras de desenvolvimento regional, dos parceiros económicos e sociais, especialmente os com assento na Comissão Permanente de Concertação Social, da Economia Social, das Organizações Não Governamentais, dos consumidores, das Universidades e Politécnicos e das entidades empresariais, com ênfase nas que representem o empreendedorismo e inovação, sem prejuízo de outros que se considerem pertinentes.

 

  • Adote medidas urgentes para combater as alterações climáticas e os seus impactos, nomeadamente o reforço da resiliência e da capacidade de adaptação a riscos relacionados com o clima e as catástrofes, a integração de medidas relacionadas com alterações climáticas nas políticas, estratégias e planeamentos nacionais, a melhoria da educação, o aumento da consciencialização e da capacidade humana e institucional sobre medidas de mitigação, adaptação, redução de impacto e alerta precoce no que respeita às alterações climáticas.

 

  • Garanta a interligação energética do mercado português ao mercado europeu, quebrando a barreira dos Pirenéus, como forma de aproximar o preço da energia em Portugal ao preço médio da Europa.

 

  • Integre nas políticas públicas portuguesas e na discussão a realizar sobre o novo Quadro de Financiamento Comunitário pós-2020 os principais objetivos da resolução da Organização das Nações Unidas intitulada “Transformar o nosso mundo: Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável”, nomeadamente no que se refere aos seguintes objetivos:

- Água e saneamento;

- Padrões de consumo e de produção sustentáveis;

- Mobilidade e adoção de medidas urgentes para combater as alterações climáticas e os seus impactos, incluindo o estudo sobre a realização de um plano nacional de barragens sustentável e adaptado à realidade, tendo em conta o aumento da competitividade nacional no domínio energético;

- A sustentabilidade da produção agrícola e a resposta aos fenómenos de seca e alterações climáticas.

 

  • Aposte na utilização de meios de transporte públicos, especialmente não poluentes, promovendo-se medidas que possam levar à substituição de meios de mobilidade que recorram a energias fósseis.

 

  • Incentive a adaptação das vias rodoviárias à nova realidade, desenvolvendo as redes de mobilidade suave e expandindo-se a rede que já exista em 2020, nomeadamente nas áreas metropolitanas.

 

  • Defina as prioridades estratégicas do país, no âmbito da preparação do novo quadro comunitário para o período pós-2020, numa perspetiva de coesão social e territorial, que promova o combate efetivo à pobreza e exclusão social, a empregabilidade, o aumento do poder de compra, a correção das assimetrias regionais e locais, as alterações climáticas e todas as suas consequências e o desafio demográfico.

 

  • Implemente novas formas de cooperação na gestão e ordenamento do território e aposte no desenvolvimento territorial participativo, no reajustamento da malha urbana e no desenvolvimento dos territórios de baixa densidade.

 

  • Reforce a proteção e gestão dos recursos naturais, nomeadamente através da definição de um estatuto fiscal do interior, acomodando as discriminações positivas necessárias, e de um quadro regulatório especial para o interior do país, com uma competitividade radical, capaz de ser reconhecido como uma localização de referência para o investimento e de se tornar o melhor local da Europa para começar e testar uma nova ideia ou um novo negócio.

 

  • Crie as melhores condições para que Portugal seja um espaço de referência quer de base nacional quer investimento direto estrangeiro, assente na inovação e na qualificação, privilegiando o investimento de base industrial e que permita a criação sustentada de emprego qualificado.

 

  • Promova a competitividade portuária e a definição uma rede ferroviária complementar à realizada até 2020, de forma a contribuir para o crescimento das exportações e para o desenvolvimento industrial.

 

  • Estude e promova, no âmbito da estratégia a apresentar à União Europeia, com referência ao novo quadro de financiamento comunitário, políticas integradas e multidisciplinares de apoio à família e à natalidade, partilha das responsabilidades parentais e promoção da igualdade de género, preconizando uma inversão da tendência demográfica do país.

 

  • Incentive respostas adequadas ao processo do envelhecimento ativo, no sentido da melhoria das condições de vida das populações.

Fonte: DRE / MC

Fundo para a Inovação Social: Primeiras candidaturas já em análise

Sex, 13/09/2019 - 00:00

Estão já em fase de análise as primeiras candidaturas ao FIS CAPITAL.

 

A Linha FIS CAPITAL destina-se a apoiar Iniciativas de Inovação e Empreendedorismo Social (IIES), em coinvestimento com investidores de impacto, públicos e privados.

 

Assegurado por verbas do Fundo Social Europeu (FSE) e nacionais, o Fundo para a Inovação Social (FIS) é um dos instrumentos no âmbito da Iniciativa Portugal Inovação Social que tem como objetivo fomentar o Empreendedorismo Social e a Economia de Impacto.

 

Mude o amanhã. Crie impacto hoje. Candidate o seu projeto ao FIS CAPITAL .

 

Mais informações disponíveis em https://www.fis.gov.pt

 

Fonte: Portugal Inovação Social/MC

Anuário Regional do Eurostat 2019

Qui, 12/09/2019 - 00:00

Permite comparar a diversidade regional na União Europeia.

 

  • É mais fácil encontrar um emprego na sua região ou noutras regiões da União Europeia?
  • A idade mediana da população é superior ou inferior à de outras zonas da UE?
  • Quais são as principais atividades económicas na sua região?
  • Quanto dinheiro é investido na investigação e na inovação?
  • A sua região é mais rica do que as outras?
  • Qual a região com maior utilização da Internet?

 

A edição de 2019 do Anuário Regional do Eurostat responde a estas e a muitas outras questões.

 

São apresentados indicadores regionais para os seguintes 12 temas: políticas da UE para regiões e cidades, população, saúde, educação e formação, mercado de trabalho, economia, estatísticas estruturais das empresas, investigação e inovação, economia e sociedade digital, turismo, transporte e agricultura.

 

Além disso, dois capítulos especiais estão incluídos nesta edição: foco nas cidades europeias e foco nos desenvolvimentos socioeconómicos regionais após a crise financeira e económica global.

Fonte: CE/MC

INOV Contacto 2019: Candidaturas abertas até 10 de outubro

Qui, 12/09/2019 - 00:00

A AICEP acaba de abrir as candidaturas para mais uma edição do INOV Contacto, o programa de estágios internacionais que oferece aos jovens portugueses a oportunidade de realizar um estágio remunerado de 6 a 9 meses, em mais de 80 países, em empresas portuguesas e estrangeiras de todas as áreas profissionais.

 

Até 10 de outubro, os jovens licenciados até aos 29 anos, podem candidatar-se para abraçar um novo desafio no estrangeiro e partirem numa aventura profissional para um destino desconhecido.

 

Em 23 edições, o INOV Contacto já levou seis mil jovens a estagiar em mais de 1.100 empresas e organizações espalhadas por 82 países, em locais tão variados como Estados Unidos, Espanha, Brasil, Moçambique, China, Reino Unido, Namíbia, Gana, Cazaquistão, Irão. Nas primeiras quatro semanas após concluírem o estágio, 60 por cento dos participantes encontra emprego, seja na empresa de acolhimento ou numa nova entidade.

 

Com 200 vagas abertas para 2020, as candidaturas decorrem no site do INOV Contacto até 10 de outubro. Durante este período os jovens poderão ver respondidas todas as suas questões em duas sessões de esclarecimento que se realizarão em Lisboa - no dia 18 de setembro, e no Porto - no dia 25 de setembro, a partir das 15h nas instalações da AICEP das respetivas cidades, e para as quais também se podem inscrever online ou simplesmente aparecer.

 

Mais informações sobre o programa de estágios profissionais internacionais disponíveis aqui

 

Fonte: AICEP Portugal Global/MC

Portugal e as Alterações Climáticas

Qui, 12/09/2019 - 00:00

Consulte os resultados para Portugal do Eurobarómetro Especial 490 sobre Alterações Climáticas.

 

Recentemente divulgado, este Eurobarómetro incidiu sobre:

  • perceções europeias das alterações climáticas;
  • medidas de combate às alterações climáticas;
  • atitudes relativas ao combate às alterações climáticas;
  • atitudes em relação à transição para energias limpas e a adaptação aos efeitos adversos das alterações climáticas
  • preparação para o futuro.

 

Os resultados foram extremamente encorajadores, com tendências positivas para a consciencialização dos cidadãos sobre as alterações climáticas, a vontade de que a União Europeia e os Estados-Membros continuem a agir e a vontade de tomar medidas pessoais para combater as mudanças climáticas.

 

Resultados para Portugal

 

Quase nove em cada dez inquiridos em Portugal consideram as alterações climáticas um problema "muito grave" (87%), um aumento de quatro pontos percentuais (pp) desde 2017 e significativamente superior à média de 79% da UE. Quase um em cada cinco (19%) considera que este é o problema mais sério que o mundo enfrenta neste momento – um aumento de 15 pp desde 2017, embora abaixo da média de 23% da UE.

 

Os inquiridos em Portugal têm mais probabilidade do que a média da UE de dizer que tomaram pessoalmente medidas para combater as alterações climáticas nos últimos seis meses (74%, muito acima da média de 60% da UE), um aumento de 14 pp desde 2017.

 

Quando são dados exemplos específicos de ações climáticas, esta proporção aumenta para 89% (contra a média de 93% da UE).

• Mais de dois terços dos inquiridos em Portugal tentam reduzir os seus resíduos e separá-los regularmente para reciclagem (76%, um pouco acima da média de 75% da UE), um aumento de oito pp desde 2017.

• A proporção que dá importância a um menor consumo de energia na compra de eletrodomésticos também aumentou em nove pontos percentuais, para 42% (abaixo da média de 48% da UE).

 

Quase nove em cada dez concordam que a redução das importações de combustíveis fósseis pode aumentar a segurança energética e beneficiar economicamente a UE – a maior proporção de qualquer Estado-Membro (86%, significativamente superior à média de 72% da UE). A proporção que concorda que a adaptação aos impactos adversos das alterações climáticas pode ter resultados positivos para os cidadãos também está acima da média da UE (87%, contra a média de 70% da UE).

 

Quase todos os inquiridos em Portugal consideram importante que o seu governo defina metas para aumentar a utilização de energias renováveis até 2030 (96%, acima da média de 92% da UE) e dê apoio à melhoria da eficiência energética até 2030 (95%, superior à média de 89% da UE). Mais importante ainda, quase todos (97%) os inquiridos apoiam o objetivo de uma UE com impacto neutro no clima até 2050.

Fonte: CE/OP/MC

Páginas